Sobre Auto-Estima, Meus problemas, Meus pensamentos…

654

Pessoal, hoje vou falar sobre uma coisa muito séria que me atinge muito e acredito que muitas pessoas também sofrem com a auto-estima baixa. Vamos conversando, e vou falar o que acontece comigo e talvez, aconteça o mesmo com você.

É um texto descontraído! Eu não sou escritora e não tenho pretensão de fingir que sou uma 😉

Eu me acho bonita. Me olho no espelho e gosto do que vejo. Aí eu avisto uma pessoa que admiro, gosto ou simplesmente acho atraente e todo o meu bem-estar já era. Começo a ter ataque de ansiedade, a achar que tô feia, desarrumada, com hálito ruim, que sou baixa, gorda e etc. Se alguém me elogia, eu dou uma risada sem graça e agradeço ou então eu finjo que não ouvi, mudo de assunto… se eu não me arrumasse, eu entenderia. Mas, eu escolho minhas roupas, me maquio, passo batom vermelho! Isso é por uma causa: eu quero ser notada. Mas, aí se alguém nota, essa é a minha reação? Isso acontece porque eu não acredito no que vejo no espelho, porque este objeto me engana! Eu vi aquela foto que tiraram de mim e estava mais feia que um porco e reparei que as outras pessoas que conheço e estavam na mesma foto, estavam exatamente iguais, do mesmo jeito que vejo sempre. Ou seja, não é a foto que tá mal tirada, eu sou daquele jeito.

Eu defendo, gosto de mulheres plus size, me visto, ando como se fosse uma “leoa”, e aí se vou a algum lugar importante, e vou levar um acompanhante, eu fico receosa porque eu não quero ser a feinha do local. Dá pra entender? Não é que eu queira ser A MAIS bela do local, isso é impossível, mas não quero me sentir péssima, como se não devesse estar lá.

No meu pensamento, um diálogo:

– Ela é magra, todo mundo gosta mais de magras.

– Mas, você gosta de plus size de verdade, você acha bonito, não acha?

– Eu gosto, mas os outros não gostam. Ninguém gosta de gente gorda e baixa, parece um ser humano achatado. Parece que um gigante pegou uma mulher e deu uma achatadinha, essa sou eu.

Esse é o pensamento que rola.

Eu já fiz cada coisa, pra me “consertar”! Eu aprendi a andar direito, já que antes eu andava de pernas abertas, com jeito de gorda. Eu aprendi um jeito de sorrir e mostrar os dentes de forma que só aparece uma parte deles porque eu odeio o formato dos mesmos, eles não são quadradinhos, são separados e pequenos. Antes, eu apenas não sorria. Só que aí sempre tem um ser que te obriga a sorrir, e ainda diz “sorri de verdade com os dentes” aí eu inventei essa técnica. Eu encolhia a barriga por tanto tempo que acumulava gás (eu ainda tenho essa mania, então escolho roupas que não são tão coladas), usei lentes de contato azul porque os olhos eram a única parte de mim que eu sempre gostei, então tinha que dar um destaque neles (que raciocínio é esse?). Mas, gente isso é só uma parte do que aconteceu, e estou bem longe de ter me aceitado como eu sou. Eu não penso em fazer cirurgias e tal, mas chega na hora H e a auto-estima me deixa na mão. Não consigo falar em público porque eu sei que não tenho um bom discurso, não pronuncio bem as palavras e pareço uma bêbada falando, não gosto de uma grande quantidade de gente fiquem me olhando, eu não uso coisas curtas, evito sapatos abertos porque meus pés são feios, e etc.

Então, meus relacionamentos com qualquer pessoa ao meu redor estão péssimos por causa disso, em consequente eu me sinto mal, e minha auto-estima não melhora. Isso causa negativismo e assim em diante. Com tudo isso, eu resolvo criar um blog e me expor pra as pessoas. Tem cabimento? É exatamente oque li num blog: o que você sente com o que você faz não combinam quando não se está bem, as coisas não se harmonizam e entram em conflito. Fico ansiosa… É um ciclo dos infernos!!

E o que eu quero dizer no final das contas? Se você passa por um momento como o meu, tente se aceitar de verdade porque eu estou tentando e é difícil mesmo. É difícil aceitar que nós não somos como queremos ser, e sermos felizes mesmo assim. Porém, as relações são tão complexas e estar bem pelo menos, é uma boa não é? É fácil fazer de conta que tá tudo bem, se esconder atrás dos problemas, e também é fácil dizer essas coisas por carência, só que isso é real e não tem a menor graça. Eu nunca vi alguém que se  aceitasse de verdade, o que eu já vi é  “aceito que sou feia, simples e essas coisas não são para mim”. E o motivo de estar desabafando nesse post não é para apoiar essa ideia, desistir de si próprio não faz o menor sentido pra mim.

E quem não concorda que uma pessoa confiante é a mais charmosa de todas? Quem contraria? Espero que tenham se identificado, e me contem suas histórias 😉 Beijocas

Anúncios

11 comentários sobre “Sobre Auto-Estima, Meus problemas, Meus pensamentos…

  1. Querida e linda Ariã, vc nem imagina quantas “beldades” têm a mesma insegurança que vc! O mundo é mto cruel com nós, mulheres, não é? Vc “tem” de ser jovem, magra, simpática, bonita, elegante, charmosa, vestir-se bem, e por aí vai. Às vezes parece que ser boa pessoa e inteligente nem importanta tanto, mas não é verdade, isso é o que mais importa! Somos apenas “gente” que ama, come, bebe, trabalha, estuda e gosta de se divertir! Então, qdo bater a “baixa-estima”, respire fundo e pense que nós só temos essa vida prá viver, vamos tentar vivê-la da melhor e mais feliz maneira possível! O importante é estar confortável com vc mesma: não se sente bem gorda? Emagrece! Não se sente bem magra? Engorda! Corta/pinta/enrola/alisa o cabelo; passa maquiagem/tira maquiagem; põe/tira chapéu; põe/tira o salto…E assim, com altos e baixos, a gente vai levando. Espero que com mais altos do que baixos, hehehe. Vc é muuuito talentosa tbm, viu? Bjks.

    • Querida Sílvia, é exatamente isso. Somos gente, e gente é diferente um do outro e essa padronização é muito surreal. O problema é que tem coisa que não é possível, pessoas mais velhas não podem rejuvenecer, eu não consigo emagrecer já tentei, então quando isso acontece, não dá pra mudar, mas você tem que aceitar o que você é, mas se arrumar ajuda muito a melhorar sim o auto-estima. Agradeço seu comentário e você que é linda! Sempre penso nisso, eu não falo porque como eu disse lá em cima, eu não tenho costume de elogiar as pessoas, mas sempre percebo como se cuida! Beijos

  2. Sabe por que não fiz até hoje, com mais de 2 anos de blog, vídeo pro YT? Medo. Minha auto estima é baixa e pra completar tenho problema de pele. E foi ele quem me estimulou a fazer blog, para as pessoas conhecerem e diminuir o preconceito, para divulgar tratamentos e medicações. Minha pele está MUITO melhor e depois de 2 anos tomei coragem de pôr fotos minhas. Vídeos? Acho que ainda vai demorar, a insegurança é tremenda. Vai que alguém me ofende por causa do problema de pele ou ainda porque sou gorda? Não poderia suportar.
    Já disse que adoro teu blog, né? E acho muito bonito ver que tem gente corajosa que demonstra suas inseguranças para o mundo, através de um blog. Muito sucesso, moça.
    Beijão.
    https://www.facebook.com/DicasdaMag
    http://www.dicasdamag.com.br

    • Você acredita que eu não percebi o seu problema de pele? Eu vi que você tinha algumas espinhas, mas nada de anormal. Espero que você vença seu medo, pois você é linda e faz maquiagens igualmente lindas. Nós blogueiras estamos muito expostas mesmo. Você não é gorda!!! Tá doida? Obrigada pelo comentário, fiquei muito feliz com suas palavras Mag! Sucesso pra você também! Beijão

      • Nunca tive espinhas, agora depois de velha apareceram hahaha Meu problema de pele é Psoríase, que dá várias feridas horrorosas. Adorei saber que nem percebeu hahaha
        Ó, o delineador é o Blacktrack da MAC! Beijão!

  3. Oi Ariã
    em primeiro, você tá aqui do ladinho, sou de Diadema (alo favela).
    E segundo, já me senti como você. Eu simplesmente odiava o fato das minhas orelhas serem de abano, do meu peso, da minha celulitezinha, etc.
    Li um livro (que é ruim, mas apresenta dados excelentes e muda a alto estima das pessoas) que se chama “A Ditadura da beleza e a revolução da mulher”. É do Augusto Cury, bem antigo.
    Ele é demais. Você sabia que 96% das brasileiras não gostam do seu corpo? ou que por exemplo, 45% das crianças de 9 a 14 anos já pensam em cirurgias plásticas? 87% das modelos possuem anorexia?
    Bom, uma sociedade doente, nós temos.
    Eu fui modelo um tempo, e nas seleções eu era simplesmente humilhada. Meu cabelo enrolado todos os desfiles eu tive que alisar, meu peso não estava bom.
    Simplesmente olhei no espelho e pensei: o que eu realmente não curto em mim? assim, sem pensar nos outros? acabei apenas engordando um pouquinho, fazendo academia por causa das pernas, e de restante, meu cabelo continua encaracolado e nunca fiz cirurgia pra corrigir as orelhas.
    eu acho que você tem que decidir: o que você quer mudar tendo força de vontade, e o que simplesmente, é um mero padrão de beleza.
    O QUE É REALMENTE BONITO? Loira do olho azul? nariz fininho? magrelinhas?
    eu respondo pra você: tudo é gosto.
    eu acho lindo mulheres negras e de black power. Por mais que eu não veja muitas na tv. Assim como orientais gordinhas.
    Pensa nisso 🙂

    • Oi Mona, concordo com tudo que disse. Eu nāo sabia desses números, isso quer dizer que ninguém está livre disso, e me pergunto se os números seriam os mesmos com os homens, eu acho que nāo. Adoro cabelos encaracolados, e mulheres de Black Power é puro glamour. É verdade, a gente tem que se questionar o que é bom de verdade pra si. O que acontece é que tem gente que te faz sentir mal. Já vi várias meninas sendo apontadas porque estavam com a barriga de fora e eram “gordas”… Isso é muito triste. Imagino que no mundo da moda isso dever muito exigente, e você deve ter passado mals momentos. Mto obrigada pelo seu conselho, me ajudou muito! Beijo

  4. Querida Ariã,
    eu me identifiquei muito com o Post, e apesar de convivermos e você nunca ter comentado coisas sobre o assunto em questão, achei bonito e confesso que senti um alívio por tudo que você expressou aqui. Um alívio por você, e um por mim também.
    Me sinto assim sempre. Dias mais, dias menos. Mas, apesar da cobrança massacrante de uma sociedade “doente” como disse a Mona aí em cima, a gente precisa lidar mesmo é com as nossas cobranças sobre nós mesmas.
    Precisamos parar com essa comparação que nos acostumamos a fazer sabe!
    Não somos iguais a ninguém! E isso é mágico!
    Ontem de manhã, por acaso, antes de ler este Post, eu vi umas reportagens sobre o sucesso crescente das campanhas com as mulheres “Plus Size” (que na minha opinião, ainda estão dentro da média real das mulheres) e me fizeram refletir. Por que a gente não pode simplesmente ser feliz, saudável e autêntica? Por que a gente quer “arrumar mais pra cabeça”? Por gente que não vale a pena?
    Se temos que mudar alguma coisa, que seja por nós mesmas, sob nossa própria cobrança. E que seja uma cobrança sensata.
    Que saibamos conservar o que temos de melhor e saber tirar proveito disso, e melhorar aquilo que julgamos mais deficiente, por DENTRO e por fora.
    Ninguém está na minha pele e nunca estará pra saber como é ser EU. Portanto, só eu pra saber o que me faz feliz de verdade!!! Né? E ainda por cima, a vida é uma só e super curta!
    Pelo menos é assim que eu penso quando me vejo numa situação de tristeza gratuita ou que alguma pessoa que não sabe da minha história causou.
    Saiba que eu sempre te admirei como pianista. De uns tempos pra cá, como maquiadora e agora mais do que antes, como ser humano!
    Quem gosta de você é porque gosta mesmo! É porque gosta do seu jeito de falar, bêbada ou não: sempre direta, sincera e brincalhona! Gosta do seu jeito de mudar o cabelo, de se maquiar, das suas roupas fofas que te fazem parecer uma boneca!
    Você é uma linda desse jeito! Não tem nada pra ficar “consertando” não!
    Um beijo cor de rosa!

    • Ana, você é um mulherão sabia? Nos concertos eu sempre reparo, não tem pra ninguém. LINDA de morrer, de dar inveja pra as recalcadas. Ainda mais com tanta personalidade e voz maravilhosa que desde o momento que eu te ouvi falar, notei. Sim, vamos combinar que tem cantora que parece um pato gritando ao falar né? Sua elegância não é só no palco não, você é mais, muito mais. E quero que você saiba disso de coração porque você é diferente, é uma pessoa gentil que se preocupa com as pessoas, quer o bem delas. Agradeço por você estar acompanhando minhas postagens, vejo que você sempre curte e vê minhas coisas tanto aqui, no face ou no instagram, E isso é muito importante pra mim 🙂 Quando tiver com essa tristeza gratuita manda uma mensagem que eu repito tudo isso de novo pra você! E não te deixo dizer que é feia, gorda ou o que você imagine ser. E quando quiser uma make, só dizer!
      Beijão Ana!

  5. Eu tenho 14 anos e talvez nem tenha certo ‘amadurecimento’ para falar de tal assunto, acontece que já passei esse diálogo mil vezes na minha cabeça. Vejo uma roupa e acho super legal, quando vou sair com minhas amigas, ninguém usar roupas nesse estilo, fico me encolhendo e acabo não a usando mais. Corto meu cabelo de um jeito para ser diferente, então começo a achar que esta diferente demais. As vezes me sinto muito hipocrita. Vivo falando sobre não ser igual, fazer o que gosta, escrevo textos defendendo gostos e estilos diferentes, sobre renovação e marcar presença com seu próprio jeito, mas no final tenho vergonha de não ser igual aos outros. Acredito que ninguém é meio gorda, meio baixa, meio estranha. A pessoa é uma coisa inteiramente, isso não a faz feia e nem bonita, a única diferença é quando você aceita o que você é, trabalha com isso, usa ao seu favor e passa a gostar. É isso que te tornar bonita.
    Todo post de maquiagem que você faz eu venho ver e tentar copiar, admiro muito sua audácia com as cores e tudo mais.
    Beijão,
    Mare

    • Oi menina, não tem idade pra você começar a se julgar diferente demais. Com sua idade eu comecei a fazer dietas malucas, usava apenas roupas que cobriam o meu corpo para continuar branca e também para esconder o braço que odiava. Ser diferente demais exige muita autoconfiança, são muitos olhares, dedos apontados pra você, cochichos… Eu entendo seu medo, pois com um ano a mais que você, pintava o cabelo de cores malucas e fortes, tinha um moicano (procura um post que eu fiz sobre o histórico do meu cabelo! Tem as fotos). Imagina como as pessoas do colégio me olhavam, então é assim mesmo e acho que você tem que fazer o que quer nessa idade, pois assim você não se torna aquelas adultas com vontades de adolescente. Claro que tudo com devida cautela, porque tem coisa que não dá pra voltar atrás. Roupa, cabelo, maquiagem… essas coisas não tem problema não, pode se jogar! Que bom que gosta Mari, fico feliz com seu comentário! Beijão!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s